Guarulhos pune descarte irregular

Publicado em 03/05/2017 às 12h52

FONTE: DCI

 

03/05/2017 - 05h00 

Guarulhos pune descarte irregular

A atual gestão do município tem desenvolvido ações para punir infratores e, em conjunto, discutido a ampliação do aterro sanitário localizado no Cabuçu

São Paulo - A cidade de Guarulhos possui mais de 450 locais onde ocorre descarte irregular de lixo. Para resolver a questão dos "pontos viciados", a atual gestão fortaleceu as ações de fiscalização e de repressão, além de realizar um convênio com a Polícia Rodoviária.

Segundo o diretor de Limpeza Urbana da Secretaria de Serviços Públicos de Guarulhos, Walter Abrahão Filho, uma série de punições foi estabelecida que quem realizar o descarte em área irregular: apreensão de veículo, multa de R$ 30 mil e detenção.

Desde o início do ano, a gestão e a polícia apreenderam cerca de 30 veículos. Abrahão Filho menciona que estão sendo realizadas ações para reurbanização e revitalização dos pontos viciados.

Em conjunto com as medidas punitivas e de fiscalização, a gestão realiza um processo para ampliação do Aterro Sanitário de Guarulhos, desapropriado na última gestão, em 2016, ao custo de R$ 3,4 milhões. O aterro, hoje, conta com área de 413.240,32 m² e com a ampliação passará a ter 541.485,45 m².

Abrahão Filho explica que o custo de ampliação, somado à manutenção, deverá, em 10 anos de vida útil, custar R$ 130 milhões à municipalidade.

O diretor destaca também que o aterro sanitário tem, por meio da Companhia Ambiental Do Estado De São Paulo (Cetesb), a nota 9,6 em 10. "O aterro tem nota 9,6 da Cetesb, ou seja, com a melhor nota do Estado de São Paulo. Tem todos os controles necessários. Mesmo com a degradação, o dano ambiental causado por um aterro nota 7 é até 10 vezes maior que um nota 9,6."

Com a desapropriação do aterro, a Prefeitura realizará uma licitação para estabelecer uma empresa responsável pelo serviço de administração e coleta de resíduos. Abrahão Filho destaca que a administração vem estudando também a mudança da forma de pagamento, que era realizada por tonelagem e passaria a ser por prestação de serviço, visando reduzir os custos do município.

A administração reforçou seu compromisso com a melhoria dos serviços de coleta de resíduos e informou que, nos 100 primeiros dias de gestão, a cidade de Guarulhos recolheu 1.780 toneladas de resíduos em pontos de despejo irregular, enquanto a capital paulista recolheu apenas 420 toneladas.

Discussão municipal

A gestão realizou, na última semana, uma audiência pública para debater a ampliação, que possui vida útil entre um e dois anos. Com a obra, ela será estendida por mais 10 anos.

O diretor informa que nela foram apresentados o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) e o Relatório Ambiental. Ele estima que o processo dure um ano para conclusão e início da ampliação.

A advogada ambiental Luciana Lanna explica que a utilização de aterros sanitários representa impacto ambiental, mas com a elaboração de estudos que avaliem o impacto no local, de maneira a minimizá-los, é o método mais eficiente. "É um mal necessário. Ela (a ampliação) está sendo feita de forma regular, junto com a apresentação do relatório de impacto ambiental na audiência publica, que atesta a viabilidade do local", afirma.

Felipe Blesa

http://www.dci.com.br/dci-sp/guarulhos-pune-descarte-irregular-id622270.html#impresso-953863

voltar para Notícias

left show fwR tsN bsd b02s|left tsN show fwB bsd b02s|left show tsN fwB normalcase|bnull||image-wrap|news fwB fwR normalcase tsN|fwR normalcase tsN fsN|b01 c05 bsd|login news fwR normalcase tsN|fwR normalcase tsN c15 bsd b01|normalcase tsN|content-inner||